Blog pessoal de Ana Paula Motta

Domingo, 20 de Março de 2011

 

Ela acordou sentindo um cheiro de maresia, o edredon florido jogado no chão, a essa altura cheio de areia.

 

A maresia e a areia vinham junto com ele, assim como o pão quentinho. Sentiu a presença do corpo molhado de mar. Sorriu e abriu os olhos.

 

Depois de uma noite de febre, acordou bem disposta e feliz. Deprimia-se quando uma gripe chegava . Só os cuidados dele a confortavam e davam segurança. Chá com mel e um abraço. Coca-cola.Santos remédios.

 

Abraçaram-se e olharam juntos pela janela. A ressaca do mar trazia areia e água até a avenida à beira-mar. Adorava a imagem do mar bravio, com ondas estourando violentas, a espuma branca salpicando no ar.

 

Amanhecer feliz na casinha cor-de-rosa, uma rotina que nunca cansava.


sinto-me:
publicado por Ana Paula Motta às 01:47
link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

Teve dificuldades em dormir. Foi uma noite conturbada. Calor, pensamentos desconexos, lembranças que preferia esquecer. Insetos!

Antes das cinco da manhã resolveu acabar com o sofrimento. De hoje não passava.

Tomou uma ducha bem quente, vestiu a roupa de banho, o vestido leve que mais gostava e calçou uma sandália rasteira.

Penteou os longos cabelos, pegou a bolsa enorme e os óculos escuros.

Ligou o carro e saiu com os vidros abertos deixando que o vento da manhã invadisse as narinas.

De hoje não passaria.

Chegou à margem do imenso rio e desceu a escadinha íngreme bem onde as águas seguiam numa enorme curva.

Descalçou as sandálias e arriscou molhar os pés. Sentiu a força da água.

Subiu os degraus de volta, entrou no carro e pegou a estrada.

Depois de mais de quarenta minutos avistou o mar. Ondas violentas. A luz do sol filtrada pela neblina matinal.

De hoje não passaria.

Tirou o vestido leve e foi caminhando rumo às ondas violentas.

A primeira veio forte e encobriu seu corpo. Mergulhou e nadou vigorosamente. Avançou mar adentro. Sentiu uma energia estranha.

De hoje não passaria.

Depois de longos minutos enfrentando as vagas daquele mar que conhecia tão bem, nadou de volta à praia.

De hoje não passaria.

Deixou pra trás tudo que incomodava sua alma tumultuada.

Sorriu revigorada. Finalmente seu ano novo havia começado.



publicado por Ana Paula Motta às 09:56
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito

Segunda-feira, 5 de Janeiro de 2009

Resisti um pouco em escrever esse pequeno post porque auto-referência é um pecado muito feio pra quem escreve.

Pecado maior seria não agradecer esse mimo que recebi do Luís Bento no seu bento-vai-pra-dentro.

Então pra ficar no meio do caminho resolvi postar a foto e deixar o link para o Blog do Luís. Quem quiser conhecer essa homenagem linda que ganhei clica aqui.





publicado por Ana Paula Motta às 12:34
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Abril 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
27

28
29
30


últ. comentários
Há sonhos que não esquecemos e outros que sim, tal...
Por que razão os sonhos mais belos se esfumaçam? e...
Por que razão os sonhos mais belos se esfumaçam? e...
Bonito...
Rs, muita tinta
Sofre do mesmo pânico: os espelhos e os fios branc...
Obrigada, pela visita. O filme é mesmo muito bom.
Já vi e adorei o filme :)
Obrigada, Aninha. O que seria de mim sem as amigas...
Amanhã é um outro dia e o sol volta a brilhar, que...
Gosta de escrever textos sobre e Televisão? Tem id...
Wal , sempre tão atenciosa e carinhosa e eu em fal...
A doce Aninha enfeitando minha tarde de domingo.Bj...
Aninha, esse micro conto nasceu de lembranças e ta...
Haja o que houver, essas duas lágrimas fujonas são...
Shayana, obrigada pela visita e pelo comentário. B...
Ana gostei muito...
Um dia Ana, tb acredito nisso :-)um abraço deste l...
Wal sempre tão atenciosa e carinhosa nos comentári...
Partilhar no Facebook
Partilhar
subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro