Blog pessoal de Ana Paula Motta

Sábado, 15 de Maio de 2010

(

Quando chegaste, redescobri em mim inocência e alegria.

Removi a máscara que sobrava:

nada havia a esconder de ti,

nem medo - a não ser partires.

 

Supérfluas as palavras,

dispensada a aparência, fiquei eu,

Sem prumo,

como antes da primeira dúvida

E do último desencanto.

 

Quando chegaste, escutei meu nome como num outro tempo.

O meu lado da sombra entregou

o que ninguém via:

As feridas sem cura e a esperança sem rumo.

 

Começa a crer, por mim, que o amor é possível,

e a vida vale a pena e o pranto

de cada dia.

 

Lya Luft

sinto-me:
publicado por Ana Paula Motta às 16:17
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

16
17
18
19
20
21

23
24
25
27
28
29

30
31


últ. comentários
Há sonhos que não esquecemos e outros que sim, tal...
Por que razão os sonhos mais belos se esfumaçam? e...
Por que razão os sonhos mais belos se esfumaçam? e...
Bonito...
Rs, muita tinta
Sofre do mesmo pânico: os espelhos e os fios branc...
Obrigada, pela visita. O filme é mesmo muito bom.
Já vi e adorei o filme :)
Obrigada, Aninha. O que seria de mim sem as amigas...
Amanhã é um outro dia e o sol volta a brilhar, que...
Gosta de escrever textos sobre e Televisão? Tem id...
Wal , sempre tão atenciosa e carinhosa e eu em fal...
A doce Aninha enfeitando minha tarde de domingo.Bj...
Aninha, esse micro conto nasceu de lembranças e ta...
Haja o que houver, essas duas lágrimas fujonas são...
Shayana, obrigada pela visita e pelo comentário. B...
Ana gostei muito...
Um dia Ana, tb acredito nisso :-)um abraço deste l...
Wal sempre tão atenciosa e carinhosa nos comentári...
Partilhar no Facebook
Partilhar

blogs SAPO


Universidade de Aveiro