Que então vc tenha mais e mais dias de puro deleite!
Obrigada pela visita!
Nanda a 15 de Março de 2009 às 20:54

Nossos desejos não morrem. É deles que somos feitos... Que lindissimo e tocante texto...
Alice Salles a 16 de Março de 2009 às 19:09

Nanda, eu também agradeço a visita e os bons votos.

Alice Salles, somos dos desejos que somos feitos realmente. Obrigada pelo elogio e pela visita.
Ana Paula Motta a 16 de Março de 2009 às 21:46

que lindo seu poema, amei de paixão... parabens pela bela participação desta blogagem coletiva.... ja estou aguardando a proxima.

abraços
Compondo o olhar ... a 17 de Março de 2009 às 07:41

É por não possuir mais esses desejos de criança que os ser humano muitas vezes se torna tão rude.

Gostei da sua abordagem para a Tertúlia.

Abraços.

http://www.ponderantes.blogspot.com
Valdeir Almeida a 17 de Março de 2009 às 08:23

Compondo o olhar, obrigada pela visita e por ter gostado do texto.
Um abraço

Valdeir Almeida, é verdade que o afastamento da criança que há em nós traz uma certa rudeza, por isso é bom não deixá-la morrer.
Obtrigada pela visita.
Ana Paula Motta a 17 de Março de 2009 às 11:08