Blog pessoal de Ana Paula Motta

Sexta-feira, 6 de Fevereiro de 2009
ATLÂNDIDA


Coragem

O caminho para a Atlântida
é de terra ou de luar?
é de linho, lã ou vento
o chão que devo pisar?

Parto agora para a Atlântida,
por estradas que invento,
passo perto de Pasárgada,
cruzo fronteiras no céu
e descubro que a Atlântida
fica na esquina de mim.


Roseana Murray
publicado por Ana Paula Motta às 21:30
link do post | comentar | ver comentários (4) | | | favorito


Soneto 17 ~

Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno.

Ás vezes brilha o Sol em demasia
Outras vezes desmaia com frieza;
O que é belo declina num só dia,
Na terna mutação da natureza.

Mas em ti o verão será eterno,
E a beleza que tens não perderás;
Nem chegarás da morte ao triste inverno:

Nestas linhas com o tempo crescerás.
E enquanto nesta terra houver um ser,
Meus versos vivos te farão viver.
William Shakespeare
publicado por Ana Paula Motta às 13:28
link do post | comentar | ver comentários (2) | | | favorito

Quarta-feira, 4 de Fevereiro de 2009
Cotidiano (português brasileiro) ou quotidiano (português europeu) significa aquilo que é habitual ao ser humano, ou seja, está presente na vivência do dia-a-dia. Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Essa palavra muitas vezes é usada como sinônimo de “rotina”, num sentido mais restrito, coisa que se faz sempre. Mas e daí? Há coisas ótimas que são feitas sempre como comer, por exemplo, (cabeça de gordo é fogo,rs.) ou tomar banho que são muito prazerosas.
Tem horas em que tudo que queremos é ter um mínimo de rotina, de gestos cotidianos. Quando passamos por períodos muito turbulentos como doença na família, damos graças em voltar para a nossa “vidinha comum”.
Ando mesmo é feliz por voltar à normalidade, numa fase “todo-dia ela-faz-tudo-sempre-igual”. Nessas horas fazer supermercado, ver um filme da Dóris Day na reprise da Sessão da Tarde, dormir cedo em dia frio, são música para os ouvidos.
Agora é cuidar de prosaicas dores de barriga, crianças têm dessas coisas, mas são nossas delícias... Diariamente.



Originalmente postado no Todos os Sonhos de Abril em 19 de setembro de 2008.


marisa monte - diariamente

publicado por Ana Paula Motta às 09:47
link do post | comentar | | | favorito

Segunda-feira, 2 de Fevereiro de 2009

Ganhei esse selo da Mariana Moralles do Liberté.
Aqui diz "Somos Mulheres Bem Resolvidas",nem sei se sou viu,mas ganhei o selo e vou "usar", rs.

Uma das regras do prêmio é linkar o blog que concedeu o prêmio. Tarefa cumprida.

A outra regra não vou cumprir integralmente que é premiar outros quinze (!!!) blogs de mulheres. Conheço muitos blogs, alguns eu gostaria de conceder o prêmio mas já ganharam,outros eu não conheço bem as autoras e fico meio tímida. Bom aí logo abaixo vai minha lista. Fique à vontade para como eu ser bem resolvida a também quebrar regras,ok?

1-Natália Augusto
http://nathaliearmindo.blogspot.com


2-Aucilene Freitas
http://unimultiplicidade.spaceblog.com.br

3-Ana Vidal
http://portadovento.blogs.sapo.pt


4-Leonor B.
http://o-meu-pai-e-eu.blogspot.com

5-Verônica Cabral
http://veronicabral.blogspot.com

6-Gisele Santos
http://blogmundorockdecalcinha.blogspot.com

7-Alice Salles
http://ilumine.thedharmabum.org

8-Jô Siqueira
http://siqueirajo.blogspot.com



publicado por Ana Paula Motta às 21:06
link do post | comentar | ver comentários (1) | | | favorito

Sábado, 31 de Janeiro de 2009

Hoje pela manhã meu compadre Bruno ligou pra minha comadre e irmã Cecília comunicando o falecimento da nossa querida Tia Lalá.
O enterro vai ser às 17 h no no Cemitério Campo da Paz onde o corpo está sendo velado.
Lalá foi uma das pessoas mais especiais na vida de muita gente que a conheceu.Sua sinceridade acachapante aliada a uma doçura e carinho sem tamanho.
Casa cheia de amigos e mais cheia ainda de crianças,filhas e netas de amigos, a quem ela ensinava a comer caranguejo e feijoada (Lalá cozinhava bem à beça!!).
Lalá e suas piadas e "causos" doidos que adorava contar.
Nossa Lalá. Sorrindo agora no céu...
publicado por Ana Paula Motta às 12:04
link do post | comentar | ver comentários (1) | | | favorito

Sexta-feira, 30 de Janeiro de 2009
Hoje ando meio doentinha por conta dos excessos do post abaixo.O tal jantar preparado com tanto entusiasmo trouxe uma bruta indigestão.
Hoje me restrinjo a deixar essa canção.
Acho que amanhã vou postar um conto pequenino que tá aqui na cabeça,mas tô meio sem forças pra escrever.
Gosto dessa canção.

Adriana Calcanhoto- Vambora
publicado por Ana Paula Motta às 21:26
link do post | comentar | | | favorito

Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2009
Canção de ninar gente grande

Quando a gente é pequena cantam pra gente dormir,

Mas quando a gente cresce também tem bicho papão.

E quando a noite chega e o sono não vem?

Quero um acalanto na noite de insônia,

Quero dormir com meu anjo,

Me guarda do medo da noite,

Quero sonhar com o céu,

Quando cantam pra gente dormir

Ah,como é bom,

O medo da noite se vai

E o sonho vem

"Dorme, dorme menininha
eu estou aqui
vá sonhar
ainda é tempo, menininha "

Oswaldo Montenegro em “Canção de Ninar Gente Pequena”

publicado por Ana Paula Motta às 21:31
link do post | comentar | ver comentários (2) | | | favorito

Domingo, 25 de Janeiro de 2009


Hoje dancei como nunca

Espetáculo perfeito

Seus olhos estavam aqui

O maior aplauso que recebi

Senti você em mim

publicado por Ana Paula Motta às 00:18
link do post | comentar | ver comentários (2) | | | favorito

Sábado, 24 de Janeiro de 2009

Recebi esse recadinho por e-mail da minha amiga Auciliene Freitas me apresentando uma poetisa, Celina Ferreira, que ela conheceu através de um amigo. Singelos versos. Doces. Repletos de sinceridade. Uma delícia que saboreei na tarde quente de um domingo. Hoje republico porque a tarde está linda e eu ando especialmente assim:EU e me sentindo bem como numa manhã de maio (desculpe a "reprise").
Os versos dela que me foram apresentados são assim, puros, delicados. Sua tristeza, doce. Deixo para que leia hoje este poeminha que amo, por sua beleza, sua feminilidade, sua simplicidade. São versos melodiosos, singelos, bons para serem lidos em voz alta, devagar, saboreando bem as palavras. Dedico especialmente a minha amiga Ana Paula Motta (que, tenho certeza, adorará).” Aucilene

Ele me beija tão manso


Ele me beija tão manso
que eu penso tudo: cascatas
brotando dentro de mim.

Penso flores, penso musgo,
pedrinhas claras, redondas.
rolando dentro de mim.

Penso nuvens transparentes,
areias brancas, desertos,
mares longínquos de mim.

Ele me beija tão manso
que me perco no meu mundo
tão pequeno e tão sem fim
!

Celina Ferreira



publicado por Ana Paula Motta às 15:48
link do post | comentar | ver comentários (2) | | | favorito



As pessoas muito intensas têm um sofrimento mais sofrido que qualquer outro ser humano .Por outro lado têm a felicidade mais feliz do mundo.

Eu e minhas filosofices fora de hora... Deve ser o excesso de sol.

publicado por Ana Paula Motta às 14:54
link do post | comentar | ver comentários (2) | | | favorito

Terça-feira, 20 de Janeiro de 2009

Teve dificuldades em dormir. Foi uma noite conturbada. Calor, pensamentos desconexos, lembranças que preferia esquecer. Insetos!

Antes das cinco da manhã resolveu acabar com o sofrimento. De hoje não passava.

Tomou uma ducha bem quente, vestiu a roupa de banho, o vestido leve que mais gostava e calçou uma sandália rasteira.

Penteou os longos cabelos, pegou a bolsa enorme e os óculos escuros.

Ligou o carro e saiu com os vidros abertos deixando que o vento da manhã invadisse as narinas.

De hoje não passaria.

Chegou à margem do imenso rio e desceu a escadinha íngreme bem onde as águas seguiam numa enorme curva.

Descalçou as sandálias e arriscou molhar os pés. Sentiu a força da água.

Subiu os degraus de volta, entrou no carro e pegou a estrada.

Depois de mais de quarenta minutos avistou o mar. Ondas violentas. A luz do sol filtrada pela neblina matinal.

De hoje não passaria.

Tirou o vestido leve e foi caminhando rumo às ondas violentas.

A primeira veio forte e encobriu seu corpo. Mergulhou e nadou vigorosamente. Avançou mar adentro. Sentiu uma energia estranha.

De hoje não passaria.

Depois de longos minutos enfrentando as vagas daquele mar que conhecia tão bem, nadou de volta à praia.

De hoje não passaria.

Deixou pra trás tudo que incomodava sua alma tumultuada.

Sorriu revigorada. Finalmente seu ano novo havia começado.



publicado por Ana Paula Motta às 09:56
link do post | comentar | ver comentários (8) | | | favorito

Segunda-feira, 19 de Janeiro de 2009

Segunda-feira de férias em casa. Uma mistura muito estranha, um mormaço entediante, dia de pagar contas.

Enquanto tento, em vão ter uma idéia decente para um post começa um desenho na TV chamado “Três Espiãs Demais”. Incrível, mas gosto de assistir cada coisa. As tais espiãs são umas peruasinhas que além de investigações falam em moda todo tempo.

Acho que gosto porque as tais mocinhas são amigas fiéis, daquelas até debaixo d’água e ando com vontade de escrever sobre a amizade feminina e suas nuances.

O post sobre o assunto merece mais que um comentário sobre um desenho animado tão bobinho. Fica pra outra hora.

Agora só me ocorre um trecho de um filme de Almodóvar, um exagero sobre os descontroles da alma feminina,amizades e inimizades. Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos.



publicado por Ana Paula Motta às 11:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | | | favorito

Sexta-feira, 16 de Janeiro de 2009

Ganhei esse selo da Natália Augusto do Tout sur Nathalie
( http://nathaliearmindo.blogspot.com)que além de ser uma incentivadora dos meu blogs é uma amiga de todas as horas.Obrigada!!!
publicado por Ana Paula Motta às 22:46
link do post | comentar | ver comentários (2) | | | favorito


Rústica

Eu q’ria ser camponesa;
Ir esperar-te à tardinha
Quando é doce a Natureza
No silêncio da devesa,
E só voltar à noitinha…

Levar o cântaro à fonte
Deixá-lo devagarinho,
E correndo pela ponte
Que fica detrás do monte
Ir encontrar-te sozinho…

E depois quando o luar
Andasse pelas estradas,
D’olhos cheios do teu olhar
Eu voltaria a sonhar,
P’los caminhos de mãos dadas.

E depois se toda a gente
Perguntasse: “Que encarnada,
Rapariga! Estás doente?”
Eu diria: “É do poente,
Que assim me fez encarnada!”

E fitando ao longe a ponte,
Com meu olhar cheio do teu,
Diria a sorrir pro monte:
“O cant’ro ficou na fonte
Mas os beijos trouxe-os eu…

Florbela Espanca - Trocando olhares

publicado por Ana Paula Motta às 21:09
link do post | comentar | ver comentários (3) | | | favorito

Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009
Flor de maio

Hoje amanheci alegre,

Como uma manhã de maio.

Aroma de flores de maio.

Enluarada como as noites de maio.

Acho que maio hoje,

Amanheceu em mim.

publicado por Ana Paula Motta às 21:57
link do post | comentar | ver comentários (2) | | | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Outubro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
29
30
31


últ. comentários
Rs, muita tinta
Sofre do mesmo pânico: os espelhos e os fios branc...
Obrigada, pela visita. O filme é mesmo muito bom.
Já vi e adorei o filme :)
No Rio de Janeiro.
Ahahahaha!
E em que sítio do Brasil fica essa biblioteca?
Obrigada, Aninha. O que seria de mim sem as amigas...
Amanhã é um outro dia e o sol volta a brilhar, que...
Gosta de escrever textos sobre e Televisão? Tem id...
Wal , sempre tão atenciosa e carinhosa e eu em fal...
A doce Aninha enfeitando minha tarde de domingo.Bj...
Aninha, esse micro conto nasceu de lembranças e ta...
Haja o que houver, essas duas lágrimas fujonas são...
Shayana, obrigada pela visita e pelo comentário. B...
Ana gostei muito...
Um dia Ana, tb acredito nisso :-)um abraço deste l...
Wal sempre tão atenciosa e carinhosa nos comentári...
Ana, ainda vamos ver um filme desses juntas, com u...
Ana, foi esse momento do filme e do teu conto!! En...
Partilhar no Facebook
Partilhar
Visitas
widgeo.net

blogs SAPO


Universidade de Aveiro